Manifesto

Nos anos de 2013 e 2014 foram desmatados mais de 18 mil hectares de remanescentes florestais nos 17 estados da Mata Atlântica. E a grande responsável por este cenário é a expansão agrícola [1].

Apesar da agricultura ser vital para o desenvolvimento econômico do país, o reflexo do desmatamento de nosso patrimônio natural para a produção de grãos traz consequências, muitas vezes, irreparáveis para o meio ambiente.

Além de medidas preventivas para evitar o desmatamento, também é importante adotarmos uma postura ativa e reflorestarmos as áreas desmatadas. Mas esse processo exige um alto custo. Afinal, é preciso coletar as sementes de plantas nativas, desenvolver as mudas, fazer o plantio e cobrir grandes áreas desmatadas.

Desta maneira, o reflorestamento convencional é um processo lento e que exige grandes investimentos.

Os drones já são largamente utilizados com sucesso na agricultura para o mapeamento do solo e pulverização das plantações. Mas nós queremos dar o próximo passo: utilizar os drones para fazer o lançamento das sementes no solo.

Você quer fazer parte dessa mudança no Brasil? Nos ajude clicando AQUI!

[1] Segundo dados da Fundação SOS Mata Atlântica em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).